Whisky e charutos

Padrão

Um bom charuto pede uma boa bebida.

Entre as opções alcoólicas o whisky se destaca como o destilado mais conhecido do mundo. As inúmeras marcas e os diversos tipos de whisky permitem combinações preciosas com charutos premium. Você vai conhecer, no decorrer desta matéria algumas das melhores duplas, em sugestões de conhecedores e especialistas.

O charuto é o cachorro enrolado, assim como o whisky é o cachorro engarrafado, para usar a metáfora do inesquecível poeta e compositor Vinícius de Moraes. Não há melhores amigos do homem, principalmente se os dois forem saboreados simultaneamente.

Para chegar a uma combinação feliz entre whisky e charuto é preciso analisar as características de ambos e tentar harmonizações a partir de alguns princípios básicos, levando em conta os estilos disponíveis dos dois prazeres. É necessário levar em conta esses princípios para obter uma combinação agradável.

O paladar de um charuto suave e fresco é diferente em termos de peso e nuances do que de um charuto meio fumado, e é diferente em cada avanço da banda.

Evolução

Com ou sem charutos, o whisky deve ser saboreado puro, sem gelo, com algumas gotas de água neutra para ajudar a liberar seu aroma característico. Assim ele revelará seu caráter por inteiro, mas aos poucos. Um bom whisky evolui no copo, apresentando após alguns minutos características diferentes de sabor e perfume, ou um equilíbrio distinto entre os diferentes elementos de sua composição.

O mesmo ocorre com os charutos premium, que evoluem durante a fumada, liberando suas qualidades conforme o fumante percorre os três terços em que classicamente eles são divididos.

Sendo assim, o harmonização entre charutos e whiskies não deve levar em conta apenas os traços clássicos de aroma e sabor, mas também o fator tempo, ou evolução. No quesito harmonia (charuto e whisky, como se pode ver, dá samba) como na maioria das harmonizações temos duas opções: combinar por afinidade (sabor doce, aroma floral ou amadeirado etc.) ou contraste (doce e azedo, pungente e suave). A experiência mostra que, no caso, os melhores resultados estão nas harmonizações com afinidade – principalmente entre os representantes mais intensos e potentes.

Charutos e whiskies se destacam por certos traços. Os charutos, se forem puros encorpados, intensos, em que tabaco, terra, couro, especiarias e madeiras se destacam, podem abafar certos traços mais sutis dos whiskies, como nuances florais, amêndoas e baunilha. Da mesma forma, whiskies complexos pesados, como os de puro malte da ilha de Islay (Laphroig e Lagavulin, por exemplo), intensos em sabores e odores marítimos ou turfa, encobrem certas sutilezas de fumos mais suaves.

A grande comparação

Realiza-se anualmente em Londres no Restaurante Boisdales um concurso entre whisky e charutos, de Cuba e de outros países. Recentemente a combinação vencedora foi o Whyte &Mackay 30 anos com o hondurenho Don Ramos, seguindo-se o Dalmore Black Pearl com o Davidoff Millenniun blend, e em terceiro lugar o mesmo Dalmore Black Pearl com o Avo Domaine.

Uma degustação conduzida em São Paulo sugere que “o mais instrutivo será a combinação de charutos fortes com whiskies meio encorpados e vice-versa”.

Abaixo, as conclusões do painel, organizado pelo especialista Cesar Adames:

The Dalmore Cigar Malt
Doce, rico, frutado. Boa combinação.
Vegas Robaina
Estilo : Médio
Notas : Foi lançado em 1997.
Cuba procura criar novos charutos, devido ao embargo com os U.S.
Um charuto muito popular.

Glengoyne 17 YO
Malte limpo, delicado e suave. Ligeiramente doce, este malte combina bem com o charuto.

Santa Damiana
Estilo: Suave
Notas : O único não cubano das provas.
Este charuto tem um invólucro Connecticut, que é a única parte do charuto que não é feita na Republica Dominicana.
Monte Cristo nº 3

The Dalmore Cigar Malt
Uma combinação melhor do que a anterior.
Um charuto subtil com um whisky ligeiramente doce.

Monte Cristo Nº3
Estilo : médio
Notas : Um dos cubanos mais populares no mundo. Foi apreciado o aroma a cedro.

Auchentoshan Three Wood
A suavidade e doçura deste malte combina bem com este cubano suave. Boa combinação de aromas.

El Rey del Mundo
Estilo : Suave
Notas : Foi fundado em 1882, e foi feito na mesma fábrica do Romeu e Julieta.El Rey del Mundo

Para os membros do Single Malt Whisky Club de Portugal, em artigo publicado no site da confraria, destacam-se as seguintes combinações: O peso pesado Cohiba Siglo IV com o Auchentoshan 3 wood combina na perfeição. Outra união possível, apesar das dificuldades dos whiskies de Islay, é o Blend Black Bottle com o Vegas Robaina Classico.

No canto dos blends temos o acerto do Chivas Regal 18 anos com o Montecristo nº 1. Os fumadores de charuto têm no Dalmore Cigar Malt um de seus favoritos, e a combinação deste com o Punch merece nota alta , assim como o Glenfiddich Gran Reserva casa na perfeição com o cubano Romeo y Julieta nº 3. Outra pedida é o Ledaig 10 anos com um glorioso lonsdale Rafael Gonzales.

Já os confrades do Cigar Club brasileiro desenvolveram preferências específicas, como Lagavulin (conhecido como o aristocrata de Islay) 16 anos e o potente Camacho Corojo Diadema, recomendação de Urias Hobaik.

O Chieftain’s Cigar Malt (nas versões Mild e Robusto), assim como o Dalmore Cigar Malt, foram especialmente desenvolvidos para acompanhar charutos. O Mild apresenta na boca notas marcantes de flores e frutos, com menta, damasco e peras em compota no nariz, segundo Keir Sword, da Cigar Box and Royal Mile Whiskies, de Edimburgo. Jens Tausch, consultor do European Cigar Journal, da Alemanha, sugere os seguintes charutos para o Chieftain’s Mild Cigar Malt: Camacho Criollo Robusto e Dunhill Aged Caleta. O Hoyo de Monterrey Epicure 2 também é uma boa pedida. Já o Chieftain’s Robusto Cigar Malt pede charutos encorpados de Cuba ou Nicarágua, como Joya de Nicaragua Antaño Robusto Grande, Cohiba Robusto e Vegas Robaina Familiar.

No caso do Chieftain’s Robusto Cigar Malt, o especialista Regis Lemaitre leva em conta o fator temporal e sugere uma maneira de acompanhar a evolução do charuto na forma de beber o whisky:
“No nariz o Chieftain’s Robusto Cigar Malt tem bastante cereja e fumaça, com nível agradável de doçura. O sabor adocicado revela traços de turfa. Com água seu sabor se torna muito intenso e volátil. Vale a pena tentar uma experiência. Minha recomendação é dividir o whisky em dois copos. No primeiro, acrescentar algumas gotas de água, e beber para acompanhar o primeiro terço do charuto. O whisky do segundo copo deve ser bebido puro, sem diluição, conforme o charuto cresce em intensidade de sabor. Assim a potência do whisky acompanha a do charuto. Minha harmonização é um puro cubano potente, como o Cohiba Robusto.”

Por Charutos/Celso Nogueira

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s